quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

RAT-MAN: UM FENÔMENO EDITORIAL ITALIANO!


RAT-MAN, UM FENOMENO

EDITORIAL ITALIANO!




Nos antigos gibis americanos e nos desenhos animados personagens que são ratos humanizados parecem ter exercer um certo fascínio nos leitores e telespectadores.
Basta vermos o sucesso alcançado por séries cujos protagonistas são roedores humanizados, como: Mickey Mouse, Super Mouse, Tom e Jerry, Speedy Gonzales - personagem da Warner Bross que ficou mais conhecido como Ligeirinho, no Brasil,
o rato mais rápido do México -, criado em 1953, por Robert McKinson e
que ganhou sua versão definitiva em 1955, quando passou a
 contracenar com os demais personagens da série Looney Tunes,
como: Frajola, Piu-Piu e Patolino.










Curiosamente, na Itália, em 1989, surgiu outro roedor que se tornou famoso, um verdadeiro fenômeno de venda: Rat-Man – uma sátira baseada no primeiro Batman cinematográfico. Rat-Man foi criado pelo desenhista italiano chamado Leo Ortolani. Um ano após seu lançamento oficial através de uma publicação, esse hilário personagem ganhou o premio de melhor roteiro no Salão Internacional de Histórias em Quadrinhos da cidade de Lucca, um dos mais prestigiados e cobiçados por criadores de todo o mundo e em especial da Itália. Inicialmente, o Ratto - como passou a ser chamado carinhosamente o personagem pelos seus fãs - , foi lançado em edições independentes produzidas pelo próprio autor. Devido ao sucesso alcançado, a partir de 1966, a poderosa editora Panini – atual representante italiana da Marvel em todo o mundo e a maior empresa a lançar álbuns de figurinhas pelo mundo afora -, decidiu distribuir o material. Caso raro, em se tratando de um personagem que se originou no mercado independente. Por incrível que possa parecer, durante 10 anos consecutivos a cada lançamento os gibis de Rat-Man superavam as edições anteriores, numa ascensão galopante, fora do normal e inexplicável pelos experts em marketing.

Assim, Rat-Man passou a ser lançado e distribuído pela Panini em duas edições regulares: Rat-Man – nos meses ímpares - e All Rat-Man – que nos meses pares republicava as antigas aventuras desse personagem. Dentre as muitas HQs publicadas desse bem bolado personagem estão histórias clássicas que satirizam séries e filmes famosos como: Arquivo X, Star Wars, O Senhor dos Anéis, X-Men, além daquelas em que o herói mascarado italiano contracena com: Homem aranha, 007, Quarteto Fantástico e outros.

O autor – Leo Ortolani -, que nasceu em 1967, foi um dos poucos convidados a participar da edição especial # 50 da Bonelli Comics, para a qual desenhou a parceira do personagem Nathan Never com feições de rato. Nas HQs do personagem Rat-Man nem o próprio autor escapou das paródias. Há gozações feitas com o sobrenome dele, visto que Ortolani, em italiano, significa horticultor.

No ano de 2006, Rat-Man virou desenho animado e fez muito sucesso
 na Itália, para o deleite de seus fãs, como já era de se esperar.

Curiosamente, o saudoso e inesquecível Jean Giraud (Moebius), há alguns anos atrás havia lançado numa das edições da revista Metal Hurlant (Heavy Metal), uma sátira do homem morcego com o mesmo nome: Rat-Man.

AVISO AOS NAVEGANTES: É possível encontrar no Brasil, nas importadoras especializadas em quadrinhos, algumas edições desse que foi um dos maiores fenômenos editoriais italianos dos últimos anos: Rat-Man, criado por Leo Ortolani. Confira.

Por Tony Fernandes\Divulgação\Estúdios Pégasus –

Uma Divisão de Arte e Criação da Pégasus Publicações Ltda –


São Paulo - Brasil