quarta-feira, 20 de outubro de 2010

ENTREVISTA COM ANTONIO CARLOS MOREIRA, UM ARTISTA NATO, QUE VOLTOU A FAZER HQs!!!



Com o advento da tecnologia o mundo tornou-se 
a cada dia uma verdadeira aldeia global. Atualmente, 
via WEB, fazemos contatos e conquistamos novas 
amizades pelos quatro cantos do globo terrestre. 
Foi através do Facebook que eu tomei conhecimento 
da existência de muita gente talentosa que habita 
nosso imenso país e de suas habilidades artísticas.
Antonio Carlos Moreira é o exemplo vivo disto.



Nos tornamos amigos on-line e em 2010, na 
FestComix, em S. Paulo, nos encontramos, onde 
esteve com seu filho, no evento que reuniu gente 
maravilhosa, como: o nosso amigo de além-mar,
  Zeca (o maior colecionador de Tex que se tem notícia
 e dono do site mais respeitado sobre o velho ranger), 
o GG Carsan, o Civitelle (desenhista do Tex), 
os Maldonados (o casal 20 das HQs, especialistas
 em letreiramentos), o Gervásio (nosso amigo e um 
dos sócios do maravilhoso
 Portal TexBr, no sul do país), e outras feras.
Porém... foi através de um e-mail que recebi do 
editor independente, Arthur Filho (o responsável
 pela volta dos gibis de westerns), referindo-se 
a Apache, e através do Facebook, que tomei 
conhecimento da revista Billy The Kid, feita só
 por artistas nacionais.


Civitelle, abaixado ao centro, rodeado por
Texmaníacos, na FESTCOMIX
E também foi via Facebook que descobri a arte
 maravilhosa do amigo e Begala-Friend Antonio
 Carlos Moreira (nosso querido Duke\Jãoeine), 
que tem um potencial artístico incrível, nato, 
 tanto para as artes plásticas, quanto nas HQs, 
sua paixão. Saber que nosso amigo Antonio Carlos 
é um dos colaboradores da Billy The Kid, foi uma
 grata surpresa. Poder ver e analisar seus
 trabalhos de HQs também foi gratificante.
A seguir, você vai ler a entrevista que fiz com
 este eclético autor, que faz quadrinhos nas 
horas vagas por pura "paixonite", e que além
 disso também é um grande colecionador a tudo
 o que se refere ao velho Oeste e possui uma 
larga experiência acadêmica e em projetos editoriais.
Leiam e conheçam um pouco mais sobre este
 incrível criador e saiba, de fato, quem é quem 
nos quadrinhos nacionais.
Confiram!   


Abaixados: Zeca Willer, Civitelle e ACMoreira
ENTREVISTA COM
O MESTRE 
ANTONIO CARLOS MOREIRA,
 UM DOS 
DESENHISTAS DA REVISTA 
BILLY THE KID!


ACMoreira, um fã de John Wayne e
de gibis de western
Tony: Qual é a sua profissão atual?

Moreira: Atualmente, apesar de
 oficialmente aposentado, 
sou Gerente Administrativo 
Financeiro de uma empresa. 

Tony: Quadrinhos é apenas um hobby? 
Quando começou a se interessar por eles?

Moreira: Desenho desde criança, e por
 volta dos meus 15/16 anos fiz o   
    curso de desenho artístico e publicitário
 da Escola Panamericana 
de Arte, em SP. Depois disto fiz  o curso 
de desenhista projetista em uma escola
aqui no Rio de Janeiro.
Por volta dos 18 anos fiz alguns t
rabalhos corporativos
 para áreas de recursos humanos
 de algumas empresas,
 fui estagiário na área de
 propaganda da antiga 
TV Tupi-RJ, além de alguns 
trabalhos nos famosos 
catecismos, seguindo a corrente 
do mestre Carlos Zéfiro.
Com o passar dos anos fui 
percebendo que o desenho 
não me levaria a condição 
financeira que desejava 
para o meu futuro, então fiz
 Faculdade de 
Contabilidade
 e Pós-graduação em 
Engenharia Financeira na
 Fundação Getulio Vargas, 
e a partir daí, o desenho e
 as HQ viraram hobby.
Por volta dos 40 anos passei a 
me dedicar às pinturas 
a óleo sobre tela, participando 
de exposições em 
galerias e praças, mas 
sempre com forma de hobby 
e de certa forma de Lazer, 
uma vez que o prazer de
 desenhar e de pintar 
nunca me abandonaram.

Tony: Parabéns, você tem uma bela bagagem 
cultural, profissional, ótimo curriculum e um 
excelente kow-how em trabalhos artísticos.
 Seus heróis preferidos, do passado?


Hopalong Cassidy
           (imagem: gibi raro)
Moreira: São muitos, e posso dizer que em 
primeiro lugar estão todos aqueles ligados ao
 faroeste, que é a minha grande paixão em se tratando
 de HQ. Cavaleiro Negro, Hopalong Cassidy, Durango Kid,
 Paladino do Oeste, Gunsmoke, Jerônimo (brasileiro) 
estão entre eles.


Cavaleiro Negro, no Brasil -
          (Imagem: Gibi raro)


Jerônimo, o Herói do Sertão -
De Moises Weltman e
 Edmundo Rodriguez
Fora deste ambiente estão o Fantasma, 
Mandraque, Nick Holmes, Capitão 
Marvel, Batman, Brucutu,
 Ferdinando e outros mais.




Os gibis preferidos de ACMoreira,
            no passado








Uma edição rara de Tarzan (1936)


Tony: Seus autores prediletos, nacionais 
e estrangeiros?

Moreira: Dos estrangeiros eu gosto da 
maioria dos desenhistas franco-belgas,
 mas os meus preferidos
 fora do Brasil são o Salinas, Sejas, 
José Ortis, os
 irmãos Cestaro, Cláudio Villa, 
Civitelli, Ticci e Fusco,
 sem falar de Giraud...






Cláudio Villa - Capista oficial de Tex,
         da Bonelli Comics


... Manara, 
Serpieri e Hugo Prat,
 e dos brasileiros, Jayme Cortes, 
Flávio Colin, Gedeone, 
Shimamoto, Juarez Machado, 
Ademir Martins, 
Edmundo Rodrigues, Adauto Silva 
e tantos outros mais.



Tony: Adorei a arte pintada da Apache,
 que você me mandou. 
O desenho, a cena e a pintura 
estão sensacionais.
 Você tem know-how na arte do rabisco. 
Já trabalhou profissionalmente
 com HQs ou editoras?


Apache - por  ACMoreira
Moreira: Como escrevi lá em cima, 
na minha juventude fiz algumas 
HQs cooperativas que, na
 realidade, eram manuais de
 segurança do trabalho, 
além dos famosos 
catecismos, e depois dessas
 tentativas frustradas me
 dediquei a outro tipo
 de atividade, atualmente 
colaboro com BTK 
(Billy The KId) e outras
 histórias, produção 
independente do Arthur 
Filho, mas de forma
 amadora e a título de
 colaboração, e até 
de aprendizado, e principalmente
 para não deixar o velho e bom
faroeste morrer, logo aqui onde ele
 já teve uma multidão de 
seguidores. 

Tony: Por ser uma carreira
 difícil, muita gente boa acaba migrando 
para publicidade ou outras profissões.
 O que você acha disso?





Moreira: Tenho certeza absoluta disto.
Veja o meu caso, se eu não tivesse desistido 
do meu sonho de viver da arte, certamente
 agora, depois de mais de 50 anos eu teria
 me desenvolvido muito mais, e chegado em 
um patamar que todos nos sabemos que 
só o treinamento constante e a busca da
 perfeição pode levar.

Tony: Sem dúvida, mestre, mas pensar no futuro 
da família é o mais acertado. 
Nesse negócio de HQs
 poucos conseguem sobreviver de sua arte, 
infelizmente.
 Entre o quadrinho europeu e o americano, 
qual deles você prefere?

Moreira: Sem dúvida nenhuma 
o Europeu, o americano 
ficou impregnado de super-heróis musculosos,
 uns iguais aos outros, onde o que muda é a
 fantasia (uniforme) utilizada.
Também não gosto com o que
 fizeram com os meus
 heróis americanos de infância, não reconheço 
mais o Batman, ele já morreu e ressuscitou 
algumas vezes, tampouco 
gosto desses enfrentamentos de
 um super-herói um contra
 outro, sem falar nos super vilões. 

Tony: Houve em sua vida algum autor de HQ, em 

quem você sempre se inspirou ou admirou?

Moreira: Gostaria de desenhar como José Ortiz,
 então creio que posso dizer que vem dele a minha 
inspiração, minha admiração vai para Giraud,
 Manara, Serpieri, Hugo Prat, Salina e mais um 
montão deles.


Moebius (Jean Giraud)

Tony: Também sou fã dessa galera.
 Parabéns pelo bom gosto. Você nasceu aonde?

Moreira: Na cidade de Niterói, no Estado do 
Rio de Janeiro.

Tony:  Uma grande atriz e um grande ator?

Moreira: Marlon Brando no passado e Jack Nicson
 no presente.

Tony:  Marylin Monroe?

Moreira: No passado sim, no presente Angelina Jolie.






Tony: Também sou fã da Angelina... 
Alex Raymond?

Moreira: Reconheço a sua competência 
e a beleza de seus traços, sou fã 
de Nick Holmes, mas não admiro o
 estilo que acho “limpinho” de mais, aliás,
 penso que sou o único fã de HQ que 
não gosta do Príncipe Valente.

Tony: Isto é uma raridade. Nunca tinha ouvido 
alguém dizer que não aprecia o Harold Foster.
 Gostei do seu posicionamento de coragem, 
afinal, gosto não se discute. Gedeone Malagola?


Moreira: Certamente.

Tony:  Atualmente, você colabora com a revista Billy 
The Kid, do Arthur Filho, grande responsável pela 
volta dos westerns em pleno século XXI,
 quando isto começou?

Moreira: Não tenho muita certeza, mas creio que
 foi porque eu colaborava com o Blog do Ken Parker 
fazendo umas releituras das capas da série da
 Vecchi, ou porque tenha participado da Semana
 do Quadrinho Brasileiro também fazendo 
ilustrações associando os heróis tupiniquins
 com os estrangeiros. Fato é que recebi um 
e-mail do Arthur perguntando se eu não 
queria fazer uma HQ curta para a revista BTK,
 fiz uma, e a segunda sairá agora na edição de nº 13.
Em verdade o João Guilherme, do Blog do
 Ken Parker, é quem foi o meu grande 
incentivador dessa minha volta a ilustração,
 e foi para ele que fiz a minha primeira HQ 
depois de velho ( he, he, he), criando uma história
 curta de 8 páginas, onde Ken Parker,
 numa viagem improvável,
 desse das Montanhas
 Rochosas para conhecer a sede do Blog 
do Ken Parker em Mogi.





Tony: Genial... (Rsss...). Tex?

Moreira: Sim. Conheço Tex desde a revista Junior, 
por muito tempo foi uma das minhas revistas
 de faroeste preferida, mas com o sumiço
 desse gênero das bancas, se tornou a única.
Tenho todas as edições de Tex publicadas
 no Brasil, além dos Tex Gigantes, dos
 almanaques anuais, e das 
publicações especiais.
Como colecionador de HQ de faroeste não
 poderia deixar de ser fã de Tex.

Tony: Apesar de não ter toda a coleção, também 
sempre curti, Tex e Blueberry. Acho os argumentos
 geniais. Quais eram seus seriados preferidos, da TV?

Moreira: Paladino do Oeste, Bonanza, Chaparral,
O homem de Virgínia, o Rebelde, Maverick,
 Bat Masterson, o Homem do Rifle, Laredo e todos
aqueles faroestes do final dos anos 50 e 60. 

TEX - Arte de ACMoreira

Tony: Também adorava estas series antigas...
 Um sonho?

Moreira: Parar de fazer o que faço profissionalmente,
 hoje, e viver desenhando e pintando.

Tony: Planos para o futuro?

Moreira: Profissionalmente nenhum. 
Eu agora, nesses meus 61 anos, deixo que a 
vida me leve, vivendo as oportunidades
 que aparecem a cada dia. 

Tony:  Mangás e super-heróis?
 O que acha deles?

Moreira: Não gosto de Mangás, só se for
 Hentai (he, he, he).
Super heróis não gosto mais, acredito 
que desde 1950 (ou antes), não se criou
 nenhum super-herói novo, e recentemente
 estão esculhambando 
com os antigos.

Tony: Acho que, nós, da antiga, temos, todos, a
 opinião igual a sua, meu amigo... Antonio Carlos
 Moreira por Antonio Carlos Moreira?

Moreira: O Antonio Carlos é do bem. 
Sua sinceridade, e firmeza de pontos 
de vista fez dele uma pessoa
 de poucos mais sinceros amigos.
Tem 4 filhos de 2 casamentos, o segundo já dura
 mais de 30 anos com uma pessoa maravilhosa
 e amiga. Ele, o A. C.Moreira, é caseiro, gosta de
 fazer churrascos regados a cerveja nos finais 
de semana e de colecionar tudo sobre o faroeste.
Estudioso e pesquisador da história da
 colonização das Américas, passa suas horas 
de lazer em casa, lendo, desenhando ou pintando,
 sempre escutando música, e tomando umas 
cervejinhas que ninguém é de ferro.
  
Tony:  Grato, pela sua atenção, bengala-friend!

Moreira: Obrigado, amigão, foi um prazer
papear por aqui.


Copyright Tony Fernandes\Estúdios Pégasus -
Uma Divisão da Pégasus Publicações Ltda
Todos os Direitos Reservados